Revista Egitania Sciencia - Volume 16 | ARTIGO

Título: ESTUDO COMPARATIVO DO EFEITO DE ANTIBIÓTICOS DE ORIGEM NATURAL E SEMISSINTÉTICA DA FAMÍLIA DAS PENICILINAS EM ENTEROCOCCUS FAECALIS E E. FAECIUM

Autor: Helena Pimentel

Publicação: Revista Egitania Sciencia - Volume 16

Resumo:
O estudo teve como objetivo estudar o efeito antibacteriano de um antibiótico natural e outro semissintético, de forma a aferir se a origem pode ter alguma influência nos mecanismos de resistência ou sensibilidade ao mesmo, uma vez que estes diferem nas suas propriedades físicas, químicas e farmacológicas, no espetro antibacteriano e nos mecanismos de ação. O efeito antibacteriano foi analisado em bactérias Gram positivo Enterococcus faecalis e Enterococcus faecium, de acordo com o género, em 314 utentes (162 do género masculino: 68,49 ± 21,59 anos e 152 do feminino: 61,15 ± 23,04 anos) de uma Unidade Hospitalar. As bactérias foram isoladas em urina, pus, líquido biológico, hemoculturas, expetoração e cateter. Para averiguar o efeito antibacteriano foi determinada a Concentração Mínima Inibitória dos antibióticos em estudo. A maioria dos Enterecoccus isolados foram da espécie faecalis (82%) vs 18% da espécie faecium. Observámos um efeito significativo da bactéria por diferenças entre a sensibilidade e resistência entre as duas espécies. Ambos os antibióticos mostraram maior resistência à espécie faecium (penicilina G: 91,2%; ampicilina: 89,5%) comparativamente à faecalis (penicilina G: 33,5%; ampicilina: 33,5%). Em relação à sensibilidade registou-se o inverso. Os dois antibióticos mostraram-se mais sensíveis à espécie faecalis (penicilina G: 66,5%; ampicilina: 66,5%) comparativamente à faecium (penicilina G: 91,2%; ampicilina: 89,5%). Não observámos diferenças estatisticamente significativas no efeito antibacteriano entre a penicilina G e a ampicilina nas duas espécies estudadas. Igual tendência se constatou em relação ao género.

Palavras-chave: efeito antibacteriano, Enterococcus, concentração mínima inibitória, penicilina G, ampicilina




               INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA | Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, 50 | 6300 - 559 Guarda | Tel.+351271220100 | Fax +351271222690