Revista Egitania Sciencia - Volume 21 | ARTIGO

Título: VIOLÊNCIA FAMILIAR: CONCEITOS, IMPACTO E INTERVENÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Autor: Eliana Martins (eliana_m.gonc@hotmail.com), Marta Rato (enf.marta.rato@gmail.com), Ermelinda Marques (emarques@ipg.pt)

Publicação: Revista Egitania Sciencia - Volume 21

Resumo:
A violência familiar é caracterizada pela intimidade e pelas relações de proximidade, no seio familiar, podendo permanecer durante todo o ciclo vital. Os profissionais de saúde assumem um papel preponderante na prevenção, identificação e acompanhamento destes casos, pela sua proximidade com a família. Este trabalho, teve como objetivo abordar este fenómeno, tendo em conta o seu enquadramento familiar e as oportunidades de intervenção para os profissionais de saúde. Foi feita uma revisão da literatura nesta temática, enfatizando as linhas orientadoras das organizações internacionais e de manuais de intervenção de referência. A violência familiar surge em fases de crise e pode ser impulsionada por tradições culturais e silêncio social. Historicamente ultrapassou a situação de aceitação social e adquiriu o estatuto legal de crime público, sendo reconhecido o seu impacto na saúde pública. Abrange parceiros íntimos, heterossexuais ou homossexuais, conjugais ou em namoro, maus-tratos infantis e a idosos e a mutilação genital feminina, sendo a sua componente cíclica um risco para a mortalidade da vítima. As estatísticas do nosso país, indicam a mulher como vítima preferencial e o agressor como parceiro íntimo de relações atuais ou anteriores. A eficácia da intervenção dos profissionais de saúde implica a sua capacitação e formação, de forma a que possam Sinalizar, Apoiar, Registar, Avaliar e Referenciar adequadamente.

Palavras-chave: violência familiar, família, profissionais de saúde




               INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA | Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, 50 | 6300 - 559 Guarda | Tel.+351271220100 | Fax +351271222690