Revista Egitania Sciencia - Volume 21 | ARTIGO

Título: INTERVENÇÕES EDUCATIVAS PARA MELHORAR A ADESÃO À TERAPÊUTICA EM DOENTES CRÓNICOS EM AMBULATÓRIO NA FARMÁCIA HOSPITALAR: REVISÃO SISTEMÁTICA

Autor: Maria Isabel Barreiro Ribeiro (xilote@ipb.pt), Luís Miguel Fernandes do Nascimento Luís (luis.miguel@ipb.pt), Maria Ângela Gonçalves Rocha de Aragão (angelaragao@ipb.pt), Fátima Roque (froque@ipg.pt)

Publicação: Revista Egitania Sciencia - Volume 21

Resumo:
A adesão ao tratamento instituído para tratar qualquer doença é fundamental para assegurar a sua eficácia, segurança e relação custo-efetividade.
Este trabalho tem por objetivo apresentar uma revisão sistemática da literatura sobre intervenções educativas e comportamentais, utilizadas para melhorar a adesão à terapêutica de doentes crónicos em ambulatório, com patologias, cujo tratamento, em Portugal, está abrangido por regimes excecionais de comparticipação.
Realizou-se uma revisão sistemática da literatura, com base nos estudos publicados na MEDLINE - PubMed , sobre intervenções educativas e comportamentais que tivessem como objetivo melhorar a adesão terapêutica em doentes com patologias para as quais, em Portugal, os medicamentos são adquiridos em farmácias hospitalares ao abrigo da legislação especifica. Neste contexto, foram incluídas todas as publicações disponíveis até 31 de agosto 2017 que cumpriam os seguintes critérios de inclusão: (1) escritos em inglês, espanhol, português e francês; (2) doentes crónicos com patologias cujo tratamento, em Portugal, está abrangido por regimes especiais de comparticipação e cujos medicamentos são dispensados em farmácias hospitalares; (3) intervenção educativa e/ou comportamental dirigida para o doente; e, (4) com resultados do impacto da intervenção na adesão à terapêutica.
Foram selecionadas 193 publicações, das quais apenas 58 obedeciam aos critérios de inclusão. A distribuição geográfica dos estudos foi a seguinte: América (62,1%), Europa (22,4%), África (5,2%), Ásia (5,2%) e Oceânia (5,2%). As patologias mais abordadas foram: infeção por VIH (65,5%), insuficiência renal crónica (8,6%), doença inflamatória intestinal (6,9%), transplantados renais (6,9%), artrite reumatoide (3,4%), vírus da hepatite C (5,2%), fibrose quística (1,7%) e psoríase (1,7%). As intervenções, na sua maioria multidisciplinares, registaram um impacto positivo na adesão à terapêutica medicamentosa.
Na maioria dos estudos observou-se um impacto positivo das intervenções realizadas, revelando a importância de desenvolvimento de estudos de intervenção junto dos doentes para melhorar a sua adesão ao tratamento.


Palavras-chave: adesão à terapêutica, medicamentos, ambulatório, intervenções educativas, intervenções comportamentais, farmácia hospitalar




               INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA | Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, 50 | 6300 - 559 Guarda | Tel.+351271220100 | Fax +351271222690