Revista Egitania Sciencia - SIEFLAS Edição Especial | ARTIGO

Título: ATIVIDADE FÍSICA E APTIDÃO FUNCIONAL EM PESSOAS IDOSAS QUE VIVEM EM LARES E EM UTENTES DE CENTRO DE DIA: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO

Autor: Soraia Ferreira (soraiapf5@hotmail.com) * Nilton Leite (niltonleitecuba@gmail.com) ** José Marmeleira (jmarmel@uevora.pt) *** Armando Raimundo (ammr@uevora.pt) ***

Publicação: Revista Egitania Sciencia - SIEFLAS Edição Especial

Resumo:
Introdução. A perda da função física, problemas de saúde, apoio limitado das famílias e poucos recursos financeiros levam à institucionalização. Atualmente, um dos problemas associados à institucionalização é o maior comportamento sedentário e consequente perda de autonomia. Portanto, o principal objetivo deste estudo foi examinar os níveis de atividade física (PA) e aptidão funcional de idosos que vivem em lares de idosos ou em creches. Método. Trinta e dois idosos (85,5 ± 5,7 anos) de ambos os sexos (mulheres = 24; homens = 8) participaram deste estudo; 14 residentes em casas de saúde e usuários de centros de cuidados de 18 dias. Dados de atividade física foram recolhidos por meio de acelerometria. A aptidão funcional foi avaliada com testes de aptidão física. Resultados: Os participantes deste estudo apresentam níveis extremamente baixos de aptidão funcional e AF e altos níveis de comportamento sedentário. Nos residentes de asilos (NH), o tempo médio em comportamento sedentário e PA moderado foi de 9h48min / dia e 2,2min / dia, respetivamente. No mesmo grupo, o tempo médio gasto em PA leve foi de 77,5 min / dia. Nos usuários de creche (DCC), o tempo médio em comportamento sedentário e PA moderado foi de 7h48min / dia e 1,6min / dia, respetivamente. Os idosos que compareceram ao DCC apresentaram melhores resultados do que os residentes do asilo na cadeira teste de sentar e alcançar (DCC = -12,4 ± 15,7 cm, NH = -22,3 ± 4,1 cm, p = 0,037), teste de caminhada de 6 min (DCC = 270 ± 73,9 min, NH = 167,7 ± 84,4 min, p <0,001) tempo sedentário (DCC = 7,48 ± 0,2 horas, NH = 9,48 ± 0,94 horas, p <0,01) e PA médio (DCC = 82,6 ± 18 contagens / min, NH = 58,5 30,5 contagens / min, p = 0,03). O desempenho em outros testes (suporte para cadeira de 30 segundos; arranhão para as costas; braçadeira para os braços; com 8 pés para cima e para baixo) de aptidão funcional não foi estatisticamente diferente. Conclusões: A aptidão funcional e os níveis de AF são muito baixos, tanto em idosos que vivem em lares de idosos como naqueles que são usuários de CDC. Programas de intervenção são necessários para que esses grupos possam reverter a diminuição da aptidão física e da AF e promover a saúde e o status funcional.

Palavras-chave: atividade física; aptidão funcional; idosos




               INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA | Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, 50 | 6300 - 559 Guarda | Tel.+351271220100 | Fax +351271222690