Revista Egitania Sciencia - SIEFLAS Edição Especial | ARTIGO

Título: AVALIAÇÃO DA INTENSIDADE DE ESFORÇO DURANTE AULAS DE GRUPO: UMA COMPARAÇÃO ENTRE AS MODALIDADES DE STEP COREOGRAFADO E STEP ATLÉTICO

Autor: Ana Simão (anasimao93@hotmail.com)* Claudia Vaz (claudiasvaz92@gmail.com)** Bernardete Jorge (bernardete@ipg.pt)*** Carolina Vila-Chã (cvilacha@ipg.pt)****
Desportos de Academia e licenciada em Desporto pelo Instituto Politécnico da Guarda, licenciada em Desporto pela mesma instituição ** Estudante de Mestrado em Ciências do Desporto, especialidade Desportos de Academia, do Instituto Politécnico da Guarda. Licenciada em Desporto pela mesma instituição. *** Professora Adjunta na Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto do Instituto Politécnico da Guarda, Portugal. Membro da Unidade de Investigação para o Desenvolvimento do Interior (UDI). Especialista em Ciências do Desporto, Atividades de Academia, pelo Instituto Politécnico do Porto. **** Professora Adjunta na Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto do Instituto Politécnico da Guarda, Portugal. Membro efetivo do Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento (CIDESD). Licenciada e mestre em Ciências do Desporto pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (UP) Doutorada em Engenharia Biomédica pela Faculdade de Engenharia da UP.
Publicação: Revista Egitania Sciencia - SIEFLAS Edição Especial

Resumo:
Este estudo teve como objetivo avaliar e comparar a intensidade de esforço em duas aulas de step [coreografado (SC) e atlético (SA)]. As 8 participantes da amostra (género feminino, 21,3±1,1 anos) foram submetidas a duas sessões de 45 minutos, com o step a 15cm de altura e cadência musical de 132bpm, com um intervalo de 48h entre sessões. A intensidade de esforço foi avaliada através da monitorização da frequência cardíaca (FC). Foi calculada a FC reserva e determinadas as zonas de intensidade (ACSM, 2011). Foi ainda avaliada a perceção subjetiva de esforço (PSE – escala de Borg). A FC média nas aulas de SC e SA foi de 157±18,3bpm e 158,1±7,1bpm, respetivamente, traduzida numa intensidade média de 69,2±13,5 (SC) e 69,7±6,2 (SA) da FC Reserva, sem diferenças significativas entre as duas vertentes de step (p>0,73). Contudo, na aula de SA as participantes passaram 70±8,8% (p>0,05) do tempo em atividade vigorosa enquanto no SC passaram 50±10,3% (p>0,05). Não foram encontradas diferenças significativas relativamente ao tempo despendido noutras zonas de treino, entre modalidades. Na aula de SA (16,67 ± 1), a PSE foi significativamente superior à aula de SC (15,44 ± 0,73). Ambas as modalidades permitem praticar exercício físico de intensidade moderada a vigorosa, concordando com as recomendações do ACSM (2011).

Palavras-chave: Step; Frequência cardíaca; Perceção subjetiva de esforço.




               INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA | Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, 50 | 6300 - 559 Guarda | Tel.+351271220100 | Fax +351271222690