Revista Egitania Sciencia - SIEFLAS Edição Especial | ARTIGO

Título: SERÁ QUE TODOS OS COMPORTAMENTOS SEDENTÁRIOS AFETAM IGUALMENTE A SATISFAÇÃO COM A VIDA EM ESTUDANTES COM IDADES ENTRE OS 12 E 16 ANOS?

Autor: Alberto Grao Cruces (alberto.grao@uca.es)* Román Nuviala Nuviala (roman.nuvialal@uca.es) ** Mónica Aznar Cebamanos (moaznar@unizar.es ) *** Alberto Nuviala Nuviala (anuvnuv@upo.es) ****
Education Sciencies, University of Cádiz. ** Department of Physical Education, Faculty of Education Sciencies, University of Cádiz. *** Facultad de Educación, Universidad de Zaragoza, Spain. *** Departamento Deporte e Informática , Universidad Pablo de Olavide, Sevilla, Spain.
Publicação: Revista Egitania Sciencia - SIEFLAS Edição Especial

Resumo:
Estudos anteriores demonstraram a importância da satisfação com a vida para o desenvolvimento do adolescente e a sua relação com comportamentos pouco saudáveis. No entanto, aqueles que examinaram a associação entre o comportamento sedentário e a satisfação com a vida limitaram-se apenas ao estudo do tempo passado em frente ao ecrã. O objetivo do presente estudo foi examinar a associação de diferentes comportamentos sedentários com a satisfação com a vida, em 1897 estudantes espanhóis com idades entre 12 e 16 anos. Ver televisão (TV), usar o computador pessoal (PC) e o tempo associado à realização dos trabalhos para casa (TPC), bem como a satisfação com a vida foram avaliados através do uso de questionários de auto-perceção validados para essas idades. Foram realizadas análises de regressão binária linear e logística ajustadas à idade e sexo. Os resultados mostraram que o tempo passado em frente à TV e o uso de PC estavam negativamente associados à satisfação com a vida (ß = -0,059 e ß = -0,087, respetivamente), enquanto o número de horas semanais dedicadas à realização dos TPC era positivamente associado à satisfação com a vida (ß = 0,052). Além disso, os alunos que passaram mais tempo em comportamento sedentário frente à TV ou PC tiveram um risco significativamente maior de baixa satisfação com a vida (OR = 1.276 e OR = 1.317, respetivamente). Em contraste, os adolescentes que passaram mais tempo na realização dos TPC mostraram um risco significativamente menor de baixa satisfação com a vida (OR = 0,809). Estes resultados, obtidos em estudantes espanhois, ajudam a confirmar a relação negativa entre o excesso de tempo em frente à TV ou PC com a satisfação com a vida dos adolescentes. Os nossos resultados também sugerem que as respostas emocionais positivas durante a conclusão da tarefa aumentam a satisfação com a vida, enquanto as emoções negativas durante esse mesmo comportamento não a danificam significativamente. Em conclusão, a satisfação com a vida poderia ser melhorada com um menor tempo em frente ao ecrã, mas nem todos os comportamentos sedentários afetam a satisfação com a vida da mesma forma.

Palavras-chave: tempo em frente a écrans, comportamentos sedentários, satisfação com a vida, trabalhos de casa.




               INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA | Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, 50 | 6300 - 559 Guarda | Tel.+351271220100 | Fax +351271222690