Revista Egitania Sciencia - Volume 23 | ARTIGO

Título: ASSOCIAÇÃO ENTRE A OBSTIPAÇÃO INTESTINAL, HÁBITOS ALIMENTARES E ESTILO DE VIDA

Autor: Márcia Alexandra Louro Martins (a30319@alunos.ipb.pt), António José Gonçalves Fernandes (toze@ipb.pt), Juliana Almeida-de-Souza (julianalmeida@ipb.pt)

Publicação: Revista Egitania Sciencia - Volume 23

Resumo:
A obstipação intestinal é definida como dificuldade em defecar e é considerada um fator de risco para o cancro cólon retal. Pode estar associada com o estilo de vida, nomeadamente, com hábitos alimentares, stresse, atividade física e hábitos tabágicos. Por isso, desenvolveu-se um estudo transversal, com o objetivo de estudar a associação entre a obstipação intestinal e o estilo de vida numa amostra não probabilística de 341 estudantes de uma universidade do centro de Portugal. A recolha de dados foi feita a partir de um questionário autoaplicado, que incluiu os critérios de Roma III para o diagnóstico da obstipação intestinal, a escala PSS-10 para avaliar o stresse, o IPAQ para avaliar o nível de atividade física, o QFA para avaliar os hábitos alimentares e, ainda, questões específicas acerca do peso e estatura, hábitos tabágicos e consumo de laxantes. Para estudar a correlação entre a obstipação e o estilo de vida utilizou-se o teste de Spearman. Observou-se que, quanto maior o stresse, maior era o número de sintomas de obstipação intestinal e, quanto menor o IMC, idade, consumos de água, fibra dietética e hortícolas, maior era o número de sintomas de obstipação. Conclui-se, por isso, que o estilo de vida pode ter um papel relevante na prevenção da obstipação intestinal.

Palavras-chave: Obstipação intestinal; Hábitos alimentares; Estilo de Vida




             POLITÉCNICO DA GUARDA | Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, 50 | 6300 - 559 Guarda | Tel.+351271220100 | Fax +351271222690